sexta-feira, dezembro 26, 2008

Updates:


August 19, 2008

YACCS will discontinue service on Dec 23, 2008

YACCS will discontinue its service on December 23, 2008. After this date, you will no longer be able to access comments, either on your site or through the YACCS homepage. Please download/archive your comments before this date. Thanks to all the supporters, translators and bloggers who have supported YACCS over the past seven years.


*********

E assim, perco de uma vez todos os meus comentários e a chance de ser comentado daqui para frente...

quinta-feira, dezembro 18, 2008

e o ano acabou...

os discos pararam de ser lançados.
as festas ficaram mais escassas.
os shows serão todos no ano que vem.
o trabalho que era pouco deu uma aumentada e, agora, caiu de vez.
as novidades agora estão todas guardadas para 2009.

ok, ok, talvez tenhamos mais um disco do Roberto Carlos, quem sabe só mais um especial de natal do Rei.

Ainda assim, o ano acabou.
Agora só escrevo aqui ano que vem.


Na oitava temporada do meu blog.

Absent Soul ano 8.
hum...
preguiça de viver.
preguiça do mundo.

preguiça de pensar, de correr, de viajar, de emagrecer, de sorrir...
de ler, de ver filme, de pensar filme, de escrever, de criar,
de tentar fazer diferente...

Pasmaceira.
Estou enfiado até os fios de cabelo na lama da ilha da pasmaceira.

Até, quem sabe, talvez, um dia.
Ainda vou surpreender muita gente.

terça-feira, dezembro 16, 2008

hora da heresia da manhã:
O Killers fez o disco que o Coldplay queria ter feito.
Losing Touch, a que abre o disco é arrebatadora. Tem tanta coisa ali, U2, Franz Ferdinand, Killers, Coldplay, falsetes, dedilhados, explosões épicas.
E só estamos falando da primeira música.

Depois vem Human, o single de trabalho.
Não foi uma música que pegou de primeira.
Até achei meio chata quando ouvi pela primeira vez num clipe do Youtube.
Mas com o tempo para ouvir e ir descobrindo a carpintaria nos detalhes,
nas entradas de guitarras, nos metais... Acabei achando a mais Coldplay de todas.
E acabo me vendo batendo o pezinho com a levada da bateria.

A quarta, Joy Ride, tem uma levadona funk no baixo que faz o corpo esquentar de baixo pra cima. Sexy, baby yeah! Um pouco de feeling latino, talvez. Enfim, a viagem do prazer, tradução pequena de Joy Ride.

A Dustland Fairytale, começa num estilo tão Elton John que dá vergonha alheia. Mas depois da animada, lá pelo primeiro minuto, com umas cordas e umas marcações pesadas, até se torna menos cansativa.

Talvez para dar um tempo, acalmar os ânimos para This Is Your Life. Hakuna Matata do disco, dá pra ver os animais dançando e fazendo os backing vocals numa animação da Disney. Talvez as duas menos legais de todo o trabalho.

I Can´t Stay, te puxa pela mão, ainda com a levada meio latina meio havaiana nas batidas, meio Elvis ou Tom Jones. Total Las Vegas e drinks servidos dentro de abacaxis. Legal.

Aí começa a melhor parte do disco, depois das duas primeiras.
Neon Tiger, The World We Live In e a belíssima Goodnight, Travel Well (cure + NIN).
Ainda tem A Crippling Blow e Forget About What I Said, duas Bonus Tracks, bem animadinhas, a última provavelmente a mais pista de toda a bolacha. De muito mais bom gosto do que umas fillers perdidas nos meios das outras faixas.

E é isso.
Se tivesse que dar uma nota, daria um 8. Bem provável que você escute por muito tempo o disco, mas nada que entre no panteão dos clássicos do rock. Aí, meu querido, o buraco é bem mais embaixo!

segunda-feira, dezembro 15, 2008

saudades de figuras e capas de discos neste blog.
Assim ele fica mais colorido.
Assim ele fica mais feliz.
Primeiras impressões do killers e mais informações musicais.

Primeiro, banda de 2009 aqui antes:
WHITE LIES.
Anotem este nome. Costumo errar bastante, mas acerto um tanto também.


Banda de 2009?




O Killers sempre foi uma banda que me surpreendeu pelo crescimento dos álbuns com o tempo. Algumas poucas músicas me pegaram de primeira. Mas pra ser sincero, acho que os álbuns que crescem têm muito mais chance de ficar para a posteridade.
Você dá a eles muito mais tempo e atenção do que às balas puxa-puxa que batem de primeira, mas que são tão doces que enjoam depois de um tempo.

Metáforas a parte, continuemos.
Devidamente baixado por aqui o último do
The Departure - Inventions.
E gosto de como eles se mostram. É o segundo disco ou o terceiro que tenho deles em mp3, e sempre me surpreendem com umas músicas bem boas.
Desse disco tem a Young and Clever (HINO!!!!) e Lights Go Out, outro petardo de melodia e refrão grudentos.


Britpop nota 10



Bom, o Rosebuds continua lindo com o Life Like (que é do meio desse ano, se não me engano). Mas só agora dei a devida atenção. Coisas da internet, com muito mais para ouvir do que tempo de vida. E além disso tudo, acabo de pegar o novo do AC NEWMAN, banda que me surpreendeu com o primeiro disco e que pelo jeito, tem tudo para me manter com as orelhas ocupadas nessas últimas semanas do ano.




Rosebuds e



Ac Newman.



é isso.
E finalmente consigo baixar o disco novo do Killers!!!
Agora é ouvir com toda a calma do mundo, porque sou até meio parcial para
dar alguma opinião. Adoro os dois primeiros discos deles.
Do tipo, adorar mesmo!!!
Como pude perder o timfa com eles?
Como pude morar tão longe dos bons shows por tanto tempo?!
tempos estranhos esses,
de ventos e pingos.
pingos na cabeça.
molhados.
pingos nos is.

tempos esquisitos esses.
de pensar em que fazer e fazer, sem pensar.
de idéias e ideais.
de se martirizar pelo sistema,
e sistematizar a vida, sem esquema.

de voltar para onde nunca saí.
E pensar em sair para onde nunca consegui chegar.

tempos extraordinários esses.

de tempos em tempos eles costumam ficar assim.

sexta-feira, dezembro 12, 2008

alguém tem um rivotril pra me emprestar?
ou que tal uma receita azul pra comprar logo uma caixa?
Caríssimos amigos,
em primeiro lugar:

ROGER WATERS.

Com esse impasse resolvido, vamos às favas.

Estarei pegando a chave do apartamento de número 302, do Edifício Bari, na segunda-feira, dia 15/12. Como alguns de vocês sabem, arrumar aquele ap nunca foi meu forte.
E como todos sabem, ando meio sem equipamentos básicos de sobrevivência solitária, como cama, fogão, geladeira, panela, sofá, garfo e faca, tv 50 polegadas e DVD.


Se alguém tiver alguma coisa sobrando, ou souber de alguém se mudando e querendo se desfazer de alguns móveis, estamos com as portas abertas para doações!!
Portas abertas e muito espaço na casa!

Logo, logo um open house! Com ROCK!!!!!!!! e um chá de qualquer coisa.
O omelete é marginal.
E como não se faz omeletes sem quebrar uns ovos,
estarei eu lá nesta festa tocando uns rockenrou pra galera.

Com o sol lá em cima, na lata, tipo uma da tarde.
hehehehe

depois, só Deus sabe. Mas um choppinho com samba no Saidera ia ser sensacional!!!

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Artistas internacionais e seus covers nacionais

Rick Wakeman - Ricardinho Acordahomi
Rogers Water - Rogerinho das águas
System of a Down - Sistema do Baixinho
James Hetfield - José Chapéu do Campo
Henry Rollins - Henrique Rolla
Jesus and Mary Chain - Jesus e Maria Corrente


E você conhece mais algum?
comenta aqui



era pra ser eu.
YEAH BROTHA!!!!!!!!!!!!

==========================================================
Pedido de compra de ingressos aprovado pela Ingresso.com
==========================================================

Esta e uma mensagem gerada automaticamente, portanto nao pode ser respondida.

Prezado cliente,

Sua compra foi aprovada e seus ingressos estao liberados.Reforcamos que a Ingresso.com e comprometida com a seguranca do cartao de credito na Internet. Fazemos este procedimento para garantir que nossos clientes tenham total seguranca em nosso site.

Como informado durante a compra, os ingressos comprados nao poderao ser trocados. O sistema nao nos permite alterar data, sessao ou quantidade dos ingressos comprados.

Agradecemos pela compreensao.

================
DADOS DO PEDIDO
================

Numero de Ingressos: 1 ( Pista Meia RJ RadioHead 1 )
Evento: RadioHead

Local do Evento: Praca da Apoteose
Data da Sessao: 20/03/2009
Horario da Sessao: 22:30

terça-feira, dezembro 09, 2008

Nem pensar.
Nem pensando.
Nem pensado.
ou será bem pensado?

Pesado, com certeza.
Lesado, futuramente.

hoje, só cansado.
só cansado.


***

E a garganta começa a arranhar
fiz um teste daqueles de revista. E deu lá, estou com depressão.
Pelo menos fiz os pontos que precisava.
Que EU precisava, não que precisava para ter a depressão de revista.
O lance é:
falta de perspectiva, cansaço, as coisas já não me dão o prazer que me davam, dificuldade em dormir e uma muito maior em acordar.

***

Por falar em dormir, tive um sonho espetacular esta noite.
Estava no quarto com meu irmão e pela janela vemos um avião passar. De repente, o barulho do aeroplano volta. Ele está em queda livre, e nos escondemos embaixo da cama enquanto ele se choca contra o chão e explode numa bola de fogo. O fogo não nos pega, mas ao tentarmos sair correndo, o teto desaba e mata a nós dois.
Aí, acordamos no inferno. Onde as coisas são tranquilas, ou pelo menos achávamos ser tranquilas. Vamos descobrindo aos poucos as coisas que são proibidas e de vez em quando damos um pulinho no céu, para visitar os espíritos de lá, que tiram onda. dizem que podem voar e ficam dando pulinhos. Aí mando eles irem se fuder e mergulho, por entre nuvens, até umas montanhas que atravesso na minha forma etérea até voltar à minha casa: o inferno.

só Freud explica.

segunda-feira, dezembro 08, 2008

segunda-feira.
Sexta teve festa. Foram 20 minutos.
Foram poucos minutos. Você não pode errar, nem tentar dar uma cara para o seu set.
você não tem set.
Me diverti muito. Foi legal.

Sábado teve festa. Foi legal.

sábado teve trapalhões, teve absolut de baunilha, teve cervejas.
teve gargalhadas e teve um domingo de leseira.

***

Terça tem kalunga no rock. tem chopp, tem uisque e tem juru. Maldita juru.

***


***

Nem sei.
Adoro ver pessoas folheando revistas, mexendo em papel, fazendo embrulhos, origamis ou dobrando roupas. Sinto-me confortado por tal ação.
Vai entender. Sou capaz de ficar horas e horas vendo gente fazer coisas com as mãos.
Deve ser porque viro uma abelhinha espiando, quando todas as atenções estão voltadas para uma outra ação. Eu fico invisível.
Acho que é por isso, mas vai saber o que é que passa na cabeça de um animal que se acha racional.

sexta-feira, dezembro 05, 2008

não me perguntem porque eu também não sei porque fiz isso.

***********

=======================================================================
Pedido de compra de Ingressos em processo de analise pela Ingresso.com
=======================================================================

Esta e uma mensagem gerada automaticamente, portanto nao pode ser respondida.

Informamos que seu pedido foi feito e esta em processo de analise.

Caso voce tenha alguma duvida, por favor envie um e-mail para atendimento.radiohead@ingresso.com

Por gentileza, aguarde notificacao atraves do e-mail cadastrado com confirmacao da liberacao do pedido.

Alem do e-mail, voce podera acessar o seu historico de compras para confirmar seu pedido em http://www.ingresso.com.br/eventos2/historico/default.asp?paIdCidade=00000002&paIdEspetaculo=00013071

Segue abaixo a confirmacao da sua solicitacao de compra.

=========================================
DADOS DO PEDIDO (Nao vale como ingresso)
=========================================

Numero de Ingressos: 1 ( Pista Meia RJ RadioHead 1 )
Evento: RadioHead
Local do Evento: Praca da Apoteose
Data da Sessao: 20/03/2009
Horario da Sessao: 22:30

Preco Final: R$ 120,00 (incluido os servicos de conveniencia)

=================
DADOS CADASTRAIS
=================

Nome do Cliente: luis f taylor
Documento de Identidade: 1258588
Telefone Principal: (27) 33450703
Telefone Alternativo: (27) 92368071

quinta-feira, dezembro 04, 2008

e para babar de vez e nunca mais tocar em lugar nenhum,
meu set dos anos 2000:

Metallica - "Suicide & Redemption" (9:58)
e repito ela depois, mais uma vez!
Bom, como tenho só 20 minutos de mini-set, escolhi algumas músicas dos 70 para tocar na festa de amanhã.
Gostaria da opinião de vocês! e se possível, de saber quem tem o que aqui e o que preciso baixar...
hahahaha



70´s

Brown Sugar - The Rolling Stones
We Will Rock You – QUEEN
Baba O'Riley - The Who
Thunder Road - Bruce Springsteen
Low Rider – War
L.A. Woman - The Doors
Blitzkrieg Bop - The Ramones
Girls Got Rythym – ACDC
Black Dog – Led
Purple Haze – Hendrix
Mississipi Queen - Mountain




Pô, paulinho, faz o setlist dos 70 pra mim!!!

P.S.: preciso rever meus conceitos. Tem MUITA coisa boa nessa década que considerava perdida.
hahaahahaah e não estou falando de disco music.
Quero ouvir essas bandas com nomes toscos.

quarta-feira, dezembro 03, 2008

E, como se Deus quisesse que todos na agência ficassem à toa assim como eu,
faltou energia por aqui.

Todos foram para o deck sentar nas cadeirinhas, bater papo, pitar um fumaçoso, comer salgadinhos, tomar refrigerante, comer um empadão de frango...

E depois começou a chover. Todos sorriram e voltaram para suas máquinas.
Em 7 de março de 2001 escrevi isso para um site:

> Eu acho que vi um gatinho.
>
> Quem aqui nunca ouviu falar do Napster?
> E quem, em sã consciência, estaria lendo um site sobre música se não o
> conhecesse?
> Napster é aquele programinha legal, leve e que, de uma tacada só, acabou com
> as milhares de milhas e impostos alfandegários que separavam o Brasil do
> resto do mundo musical. Lados B de singles nunca lançados no país, versões
> ao vivo, acústicas e remixes dos grandes nomes do pop passaram a fazer parte
> do cotidiano de nossos HDs. Acabou a "necessidade" de se gastar reais e
> reais (e, nos dias de hoje, cada vez mais reais) com discos difíceis de se
> encontrar nas lojas. Ou pior ainda, encomendar discos importados aos olhos
> da cara, só porque eles ainda não foram lançados no Brasil. Com o software
> do gatinho, deixamos de gastar nosso suado dinheirinho com CDs. E passamos a
> pagar a conta de telefone.
>
> No entanto, o Napster abriu portas muito mais importantes. Fez a cultura
> marginal fervilhar e deixou o mundo do tamanho do seu monitor. Com uma leve
> fuçada em sites especializados ou em e-zines (verdadeiros garimpos
> virtuais), encontramos bandas e selos independentes dos quais nunca ouvimos
> uma palavra, seja em rodinhas de bar ou na imprensa especializada. E que
> valem (muito) a pena dar uma conferida. Música feita por pessoas normais e
> não por Kens e Barbies que habitam o mercado. Feitas para puro prazer de
> seus criadores, e não para a exploração comercial da libido dos/das
> adolescentes do mundo. Selos como Sub Pop, conhecido graças ao sucesso de
> seu mais famoso rebento, Nirvana, podem ter finalmente seus catálogos
> esmiuçados. O que falar então de outros menos famosos como Touch and Go,
> Merge ou Chemikal Underground? Só escuta o Bonde do Tigrão quem quer.
>
> Com a internet, com o Napster e com a chegada da Banda Larga, será cada vez
> mais pessoal a escolha de estacionar no limbo cultural. Rádios e jabás
> existirão por muito e muito tempo, mas felizmente o antídoto à isso já está
> por aí. Viajando por entre cabos, fibras óticas e fios de cobre. Chegou a
> hora da revolução. E, fácil como lançar uma bomba sobre o mundo, tudo o que
> temos a fazer é apertar um botão.
>
> Luis Taylor



(Depois de reler pensei: as molecada PAROU no limbo cultural. Tá tudo aí. e eles ouvem as mesmas coisas sempre. ai ai...)
Em uma música, o Pinback conta a história de um cara preso dentro de um submarino.
talvez aquela seja a última transmissão dele. A solidão é absoluta.
Ele sabe que vai para o fundo, que seu ar vai acabar.

E o que mais me toca é que todos estamos assim.
Presos dentro de nossos corpos, numa viagem solitária,
com apenas nossos pensamentos, sem ser, de verdade, de ninguém.
Sem dividir sangue, entranhas, pedaços de vida.
Uma hora o nosso ar também vai acabar. E vamos para o fundo.
A diferença é que não pensamos nisso como algo inviável, sem escapatória,
como o cara preso dentro de um submarino.
Mas estamos todos lá.

***
Quanto a ir para o fundo, mais uma observação:
Todos iremos, talvez não do mar. A maioria prefere ir para o fundo de uma cova. Na terra mesmo.
Eu prefiro ser queimado e virar cinzas.
Tudo é cinza mesmo.

terça-feira, dezembro 02, 2008

a repetição é uma merda.
mas, dano-me a repetir.
fazer o que se tudo parece igual mesmo?
os dias, a rotina, a perspectiva de um mesmo futuro.

***

Uma coisa salva hoje, o EP novo do Pinback.

***

Sim, estou mal. desde semana passada.
quero me trancar em um quarto com um aparelho de som,
uma garrafa de vodka, outra de rum e esquecer de dias como os que virão.

foda-se o social.
Não o quero.
Lá embaixo, onde escrevi o que queria, devo ter esquecido de colocar que além de Porto Alegre e Manaus, também quero trabalhar em João Pessoa e Recife.

Quero. Posso. e Vou
época boa esta de fim de ano.
A agência quase parada. Um job por dia, geralmente eliminado em um turno, o que deixa a tarde livre para não fazer anda.
Um horror. O tempo não passa, você se cansa de não fazer nada, não rende nem nas coisas que poderia fazer fora do trabalho. A vida começa a andar num ritmo, sei lá, meio parado.
Aí, deve ser melhor dar uma de malhador e se movimentar (me movimentar) logo.
Academia, bicicleta, essas coisas.

é... nem os posts estão ficando a contento.

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Vou-me embora pra Pasárgada

Lá sou amigo do rei

Lá tenho a mulher que eu quero

Na cama que escolherei



Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada

Aqui eu não sou feliz

Lá a existência é uma aventura

De tal modo inconseqüente

Que Joana a Louca de Espanha

Rainha e falsa demente

Vem a ser contraparente

Da nora que nunca tive



E como farei ginástica

Andarei de bicicleta

Montarei em burro brabo

Subirei no pau-de-sebo

Tomarei banhos de mar!

E quando estiver cansado

Deito na beira do rio

Mando chamar a mãe-d'água

Pra me contar as histórias

Que no tempo de eu menino

Rosa vinha me contar

Vou-me embora pra Pasárgada



Em Pasárgada tem tudo

É outra civilização

Tem um processo seguro

De impedir a concepção

Tem telefone automático

Tem alcalóide à vontade

Tem prostitutas bonitas

Para a gente namorar



E quando eu estiver mais triste

Mas triste de não ter jeito

Quando de noite me der

Vontade de me matar

— Lá sou amigo do rei —

Terei a mulher que eu quero

Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada.
Da série "Aqui antes":

A cada ano que passa, fica mais difícil fechar uma lista dos melhores lançamentos fonográficos. Com a facilidade de gravação, mixagem e principalmente de distribuição, dezenas e dezenas de discos chegam aos nossos ouvidos por mês. Tudo a um clique, rápido como a internet. Assim se torna uma tarefa hercúlea ouvir tudo e dar a devida atenção a cada riff ou melodia criada. Mas sejamos sinceros, pouca coisa nova é criada. Muito do que se ouve por aí é repetição de fórmula e reciclagem de influências.

E é dentro deste cenário que vamos listar alguns dos melhores lançamentos de 2008. Muita coisa boa vai ficar de fora, mas listas são assim mesmo. Vamos a ela.

Grafton Primary – Eon
Faz tempo uma banda não toca tanto e tantas vezes seguidas em meu cd/mp3 player. Sintetizadores com batidas nervosas e o delicioso cheiro do mofo dos anos 80.

Beck - Modern Guilt
O bardo moderno cria um disco que lembra os velhos tempos de Mellow Gold. Tente não mexer o esqueleto em faixas como Gamma Ray.

Metallica - Death Magnetic
Depois de 15 anos, a boa e velha banda que aprendemos a amar em “Kill´em All”, “...And Justice for All” está de volta. Viva os reis do trash metal. Peso, melodia e muita, muita testosterona.

Kings of Leon - Only by the Night
O clã Followill mostra que está com tudo em cima. Mais um grande disco para a lista de grandes discos que eles andam aprontando.

Cut Copy – In Ghost Colours
Compre um cd e ganhe uma festa. É impossível destacar apenas uma faixa de um trabalho tão coeso.

The Raconteurs - Consolers Of The Lonely
Jack White se separa de sua baterista preferida, Meg White, para criar mais uma obra-prima. É incrível como ele consegue manter a qualidade acima da média em suas composições e criar uma identidade própria para cada um de seus projetos. Inclusive chamar o Raconteurs de projeto paralelo é diminuir a relevância dessa maravilha.

Foals - Antidotes
A melhor estréia do ano. O melhor primeiro disco do ano. O melhor show do ano.
Sim, eles são bons assim.

Kaiser Chiefs - Off With Their Heads
Os chefes voltam com um disco recheado de melodies grudentas. Pop pra quem quer pop. Rock pra quem quer rock.
Da série "Comentado em outro blog":

"estamos no mesmo barco. E ele não está indo pra aldeia alguma. às vezes ele parece estar sem motor, sendo levado pela correnteza.
Temos a sensação de controle, de sabermos para onde vamos. Mas é tudo uma auto-enganação, para termos um pouco de conforto e podermos manter a sanidade."

sexta-feira, novembro 28, 2008

Só para rimar: pau no cú da Mallu.

Por Regis Tadeu*, colunista do Yahoo! Brasil
Chega de Mallu Magalhães!

"(...)neste País envolto pela névoa do bundamolismo, onde tudo é "genial", onde fatos medíocres são transformados em notícias relevantes e onde a tendência é pensar bem pequenininho para não desagradar a massa com baba elástica e bovina escorrendo pela boca (obrigado, Nelson Rodrigues!).

(...)Estou me referindo a Mallu Magalhães. São incontáveis os exemplos de babação de ovo explícita em cima de uma garota cujo grande atrativo está no fato de gostar de Johnny Cash e Neil Young quando deveria estar curtindo, sei lá, metal gótico cafona, emos chorões e discos empoeirados do Raul Seixas e Legião Urbana. Tudo aconteceu cedo demais a ela.

Tudo bem, ela tem lá seu carisma, mas suas apresentações emanam uma vibração meio amadora, de quem ainda tem muito chão pela frente antes de merecer a alcunha de "artista". Seus shows - agora, no auge do hype, sempre lotados - não trazem uma platéia ávida por ouvir boas canções, algo que a menina ainda não tem, mas sim um bando de gente que quer fazer parte de uma "tchurma mudérna", como se a visão de uma garota empunhando um violão em cima do palco fosse um passaporte para a modernidade. E de nada ajuda o fato de o cenário musical indie/pop/rock brazuca, salvo raras exceções, ser mais fraco que café de orfanato, com uma grande quantidade de cantores, cantoras e instrumentistas fraquíssimos, incensados por críticos surdos - para dizer o mínimo."
Meu problema não sei qual é.
hoje estou alegre e saltitante, mas não consigo abrir esta página e escrever coisas alegres e saltitantes.
Como disse o kalunga num post desses, talvez eu seja mesmo um indie à moda antiga.
Desses que antes de Marcelo Camelo e Strokes era incompreendido. Desses que se escondia ouvindo radiohead no café da manhã pra despertar o apetite.
Ou talvez não seja nada disso.
Seja apenas uma pessoa com uma gengiva dolorida, dada a depressões e melancolias, que resolveu viver da criatividade.
Vocês não sabem como é difícil ter que ser criativo todos os dias, sorrir e pensar em títulos e textos engraçadinhos, alegres e saltitantes. Minha veia da euforia fica toda no trabalho, toda na vida das outras pessoas, todas em páginas impressas diariamente nos jornais e jogadas fora no fim do dia.
Para vocês, camaradas, sobra o resto.
Iron Maiden?
No Rio de Janeiro?
Sábado?
Em março?

........FUI!!!!!!!!!!!

quinta-feira, novembro 27, 2008

Caralho - também conhecido como plataforma acima do mastro de embarcações à vela. Alguns chamam de gávea.Era o lugar mais alto e pior da caravela para se ficar, balançava muito, o sol queimava e era solitária. Quando os marinheiros se comportavam mal eram mandados para a "casa do caralho".

Pequena cesta no alto dos mastros das caravelas - gávea. Era dali que os marujos observavam o horizonte. O caralho era um lugar muito instável, repercutia qualquer balanço do navio se com maior intensidade.

ou seja, gávea, ninho do urubu, casa do caralho...
é tudo a mesma coisa.
hehehehe

quarta-feira, novembro 26, 2008

terça-feira, novembro 25, 2008

Poxa, incrível como certas coisas continuam as mesmas, independente de quanto tempo você fique longe.
O trânsito em Vitória está pior que o do Rio.
As chuvas encharcam as ruas, agora esburacadas, e propiciam aos capixabas a oportunidade de fazer uma das coisas que eles mais gostam: bater na traseira dos outros capixabas.
Os filmes continuam a não passar aqui e incrivelmente, nem chegam mais nas locadoras!!

Torci para a chuva não parar e para a ilha afundar de vez.
Mas foi só pensar nisso que ela parou.
hahahahha

agora, ganho e fico por mais um ano na inércia?
ou torço pra perder e penso direito o próximo ano de minha vida?

***

Maldito RPG. Maldito Computador. Maldito jogo.
Novo vício:
World of Warcraft.

por que fui experimentar isso?!
POR QUE, MEU DEUS???!!!!
novidades.
Vocês tem?

Então é o seguinte: quero viajar.
Quero ir pro Rio (passagem comprada pro dia 23-12).
Quero ir pra Londres, Paris, Amsterdam.
Quero estudar cinema, quero fazer filmes, quero ganhar dinheiro com isso.
Quero tempo para ler os livros que comprei.
Quero tempo para ficar com os amigos.
Quero tempo para ficar com a namorada.
Quero escrever o novo roteiro que acabei de pensar, hoje indo para o dentista tirar os pontos do siso. Sobre o adalberto, um varredor de rua. Daqueles vestidos de abóbora, com seu carrinho, sua vassoura e sua observação ímpar de um mundo que ele vê, mas que os outros não vêem.

Quero poder ser feliz. Quero ter dinheiro para não trabalhar.
Quero fazer um cruzeiro, passar uma semana numa aldeia indígena,
quero voltar para Belém.
Quero morar mais em Cuiabá.
Quero morar mais no Rio.
Quero morar em Santiago, em Nova Dehli e em Londres.
Aqui, quero trabalhar em Porto Alegre e em Manaus.

Quero ver o pôr do sol no cerrado. Quero ver o nascer do sol no sertão.
Quero visitar a Bahia, que não gosto, para perder o preconceito e passar a gostar.
Quero tocar mais em festas, quero fazer festivais de música, quero filmas meus roteiros.

Quero matar as saudades dos amigos que moram longe, quero amar e ser amado.

Quero. Posso. E vou.

segunda-feira, novembro 24, 2008

ok, não arrebentei os pontos.
Mas esta porra inflamou e me deixou de cama em OUTRO fim de semana.
O segundo seguido!!!
shite!!!

agora, estou com sede. Com muita sede.
E acho que só uma garrafa pode matar essa sede.
de vodka, de uisque, de juru, de tequila...
ou várias de cerveja.

Mas, só fim de semana porque ainda estou no antibiótico!!!

quinta-feira, novembro 20, 2008

quarta-feira, novembro 19, 2008

ai ai...
nada como um dia após o outro.
principalmente quando cada dia que passa significa um pouco de melhora na sua saúde.
Tirei a barba, mas não sei o que isso tem a ver com o que iria escrever.
nada, provavelmente.

Com essa parada estratégica no meio da semana,
pude ver alguns filmes que estavam parados aqui.

Vi Super High Me, um super size me da maconha. Um comediante americano fuma normalmente sua marijuana, e inventa uma piada no seu stand-up sobre o filme SuperSizeMe. Algo do tipo: falem sério. o cara come um mes no mcdonald's e alguem ainda paga pra ele fazer isso e a gente AINDA PAGA pra ir ver isso?
Paguem pra mim, que ficaria 30 dias só fumando maconha.

um cara da platéia gostou da idéia e eles fizeram o filme.
Tirando algumas piadas do seu stand-up, um documentário bem simples.
sem grandes sacadas. O que pra quem tá doidão, ficou até de bom tamanho.
hehehehe

Depois vi O Sobrevivente, com Christian "Batman" Bale, no Telecine. Gente do céu. Que filme sem pé nem cabeça, onde nada acontece... Mas pra quem estava com dor no dente, esperando o sono chegar as duas da matina, até que foi ... um bom calmante.

E agora a pouco terminei de ver o Amor nos Tempos do Cólera.
Fiquei com vontade de ler o livro. Seu Javier Bardem, mais uma vez, encarna o personagem, mesmo que só do meio para o fim, quando envelhece um pouquinho.

bom,acho que é isso.
daqui a pouco ou jogo da seleção ou mais um filme.
estou em casa, me relembrando de como é ficar à toa.
fiquei assim, uns meses desde o início do ano, depois fui pro Rio,
estudei direção de cinema, e não trabalhei. Infelizmente neste mundo, trabalho é igual a dinheiro que é igual a uma vida normal e, chegou uma hora em que estava totalmente descapitalizado.
dividas MESMO.

tive que me virar e o trabalho no ES, caiu como uma luva, no momento em que mais precisava. Voltei, fiz campanha política, virei noites, voltei pro rock, virei mais noites, entrei em ondas muito loucas, e aí, acabou a campanha.

fiquei de bobeira uns dias, fui ao Rio. Revi amigos rapidíssimamente. ok, revi só a fernanda. Fiz uma oficina de roteiro de cinema em uma semana, voltei para Vitória e comecei a trabalhar numa agência. Os clientes são novos, as pessoas são novas, os trabalhos serão novos. Enquanto nada vira rotina (clientes, principalmente), a vida corre calma e eu corro cheio de tesão para criar coisas novas.

faço portfolio, que o meu está um horror de defasado. E tento, depois quem sabe, ir pra algum outro lugar do Brasil. Sul(Porto Alegre), Norte(Manaus, Belém), Nordeste (João Pessoa, Recife, Fortaleza)...
E no coração aquela saudadezinha de Cuiabá.

Estou em casa de bobeira, na boca pontos e um espaço anteriormente ocupado por um dente ciso. Cuspo sangue desde ontem. Me alimento de sorvete, iogurte e sopas frias.

Mas podia ser pior. sempre pode.

quinta-feira, novembro 13, 2008

dias marcados na carne!
o sentimento é de cansaço, sem descanso.
se é que dá pra entender isso.

As coisas estão confusas, confusas.
e minha cabeça só me ajuda a ficar mais maluco.
mais maluco.
cada vez mais maluco, cabeça mais perdida,
corpo respondendo do jeito mais maluco possível.

de manhã, mijei 4 vezes.
meu rim tá bom assim?

vamos levando. o primeiro fim de semana tá aqui.
tá aí.
vou viajar. acho que preciso.
acho, tô sempre achando.
Uma hora preciso ter certeza.

abraços

segunda-feira, novembro 10, 2008

ok, ok...

muitos me destratarão por isso, mas 10/11/08
volto a ser publicitário.

quinta-feira, novembro 06, 2008

Ah sim...

só para acabar com a discussão iniciada na segunda-feira (ou foi na terça retrasada?)



2 jogos finais contra o Penarol. São Paulo campeão da Conmebol
usando o time expressinho.
isso é o que chamo de mudanças que dão em nada.
rodeei, rodeei, rodeei e acabei voltando pro queridinho amarelo-creme-de-ovos de sempre.
Amo meu blog.
ok, só mais uminha...
Planeta terra em SP,
ou offspring, Tom Zé, REM e Botafogo x Flamengo no Rio?
e preciso contar para vocês:
a UFRJ é O lugar!
voltemos ao Rio.
O Chopp continua gelado, apesar de não ter tomado nenhum deles.
O engenhão continua looonge pra cacete. E o botafogo continua sem perder quando esse que vos fala está nas arquibancadas. Ok, não nos classificamos, mas foi muito bom ter ido assistir ao André Luiz tirar o cartão da mão do juiz e dar o cartão PRO juiz.
ahahahaha

***

Aqui festival de curtas e eu de fora, sem participar.
A Oficina está valendo pelos contatos, pelas oportunidades de se manter no meio, mesmo estando de lado, ou do lado, uma vez que o ES está ao lado do Rio.

***

Assisti ao Semi-pro, obra-prima com Will Ferrel. Algumas sequências estão próximas de geniais e UMA, em especial, é GENIAL!!!
Dica: nunca desafiem um urso.

***

saudades.

terça-feira, novembro 04, 2008

no Rio, as coisas se multiplicam.
É incrível. Coisas para se fazer, filmes para se ver,lugares para se andar, amigos a se reencontrar...

só sinto falta de arrumar as minhas coisas.
ou seja, onde as colocarei?

***

Meu aluguel acabou de acabar.
O inquilino sai em um mês.
e agora, com o ap vazio?
volto pra lá?

sábado, novembro 01, 2008

será perseguição?
quando coloco pé na estrada no blog, meu carro vai parar pra conserto e eu devo ficar preso mais um tempinho atrás de dindim...
é com imenso prazer que digo que o T(i)nc tá com disco novo na praça!!!
The Internacional Noise Conspiracy,a mesma banda que me fez pirar com seus últimos 3 discos.
Agora é esperar o ano terminar com o novo do Killers (ainda à procura), o novo do Kaiser Chiefs (o single tá muito bom!!!) e o Dig Out your Soul do Oasis, que só consegui baixar hoje!!!
saudades da época em que comprava os discos assim que eram lançados...

****

Agora estou com celular novo aqui em Vitória. E pela primeira vez, tenho algo que pode carregar músicas...
será que vou me render ao Ipod?

quarta-feira, outubro 29, 2008

Sabe o que mais me chateou essa semana?
Não, não foi perder os shows do Tim Festival em Vitória. Mesmo porque show de Tim Festival e Vitória, para mim (e apenas para mim, não combinam).
O que me chateou mesmo, de verdade, foi perder o show da KT Tunstall.
Maldita vozinha, malditas melodiazinhas, maldita melancoliazinha...

se vocês não conhecem, diria que é uma Aimee Man que me pegou!
Nova cara?
novo momento?
olá querido blog.

nada bom começar assim.
Na verdade, nada bom ficar assim, sem escrever.
Mas digamos que me falta a melancolia típica para um bom texto.
Fico aqui no trabalho, depois do trabalho, na música depois da música, pensando em o que poderei usar para ser diferente.
E vendo que todos vão pela mesma cartilha.

ser diferente não te difere de nada. A não ser de você mesmo.

quarta-feira, outubro 22, 2008

ah a arte...

como elas são boas de se olhar, bonitas de se ver. Fotos, desenhos, filmes, pinturas, esculturas.
Como elas me fazem bem.

É estranha e convincente, a arte.

Um prazer percorre o corpo. Talvez seja a pequena esperança no ser humano.
Saber que ainda podemos fazer algo que nos mexa assim, que possa nos emocionar de forma verdadeira, sem apelações.
E assim, as coisas vão se encaminhando.
Engraçado que as certezas que tinha viraram dúvidas, como estava falando com minha amiga que está nos EUA.

As certezas?
essas de sempre. Casa, emprego, vida, perspectivas.

As dúvidas?
as de sempre. o que fazer, com quem fazer, quando fazer.


O que eu quero?
ser feliz. simples assim.
e difícil assim.

Mas uma coisa eu já sei:
é bem difícil que, o que quer que eu venha a decidir, aconteça aqui em Vitória.

****

Em tempo:
The National, que toca aqui na segunda, era uma de minhas bandas queridas faz um tempão atrás.
Hoje tem tanta gente falando deles que dá vontade até de desistir de ver.
Mas com o ingresso na mão, e o show sendo a menos de 1 km da casa do meu pai(o lugar onde moro provisoriamente)...

terça-feira, outubro 21, 2008

Essa vai pro Elton, mesmo sabendo que ele não entra nesse espaço cibernético:

comprei o Guia 4 rodas 2009.
O mapa está estirado no chão.
para onde vamos este ano?
oi alma ausente.

de verdade, não tenho muito o que escrever aqui.
preciso é escrever de verdade em algum lugar. e salvar as coisas que escrevo em outro lugar que não seja um laptop. outro dia o vírus quase fez com que eu perdesse meus contos, meus roteiros, minhas músicas. coisas que em época de não-lugares podem ser resumidas como "tudo o que tenho".

segunda-feira, outubro 20, 2008

o último torpedo que recebi dizia assim:
"caozeiro"

pô, sou isso não, Caio.
última semana de trabalho no ano.
eheehehe
e ainda estamos em outubro.
Bom, isso.

***

depois de encerrada a campanha, com direito à festa da vitória (se tudo der certo, claro), ainda terei uma semana ou duas de Vitória. Pra descansar, acertar meu carro, tentar vendê-lo, ir ao dentista, começar a pré do meu curta, enfim...
Umas semanas de relax total.Com direito a regime e malhação.
Preciso voltar em forma. O Rio não é brincadeira.

Novembro pode ser que me leve para Sampaulo. Nem sei ainda. Ou dezembro pode ser que me leve para Sampaulo. Mas Sampaulo é sempre só de passagem. Dezembro pode me trazer de volta pra Vitória, isso sim, se marcarmos a filmagem do Beijo de Amigo pra cá. E para esse mês.

***

Vida que me leva, sem direção.
Ê vidão...

***

Digo que em determinado momento do meu caminhar resolvi desenvelhecer. Comecei a fazer aniversários ao contrário. Ficar mais jovem, até o ponto em que virei um moleque. Voltei à adolescência. Que maravilha. Ter mais de 30, com a experiência de todos estes anos vividos e se sentir um moleque de 17, 19 ou 22.
Claro. É uma maravilha, sim. Você se torna o dono do mundo. Mesmo.
Sem contas para pagar, estudando, acordando tarde, fazendo o que der na veneta, enchendo a lata de cachaça independente de ser segunda ou sexta.

Mas aí, um dia, você percebe que, como um cara de 30 anos, você tem certas necessidades que os adolescentes nem sabem existir. E quando você olha para o lado, está morando de favor na casa de parentes, sem seu canto, sem poder ficar no escuro deitado em sua cama ouvindo seus discos. Descobre que a casa não é sua, que os móveis não são familiares, que no armário não cabem todos os esqueletos que você precisa guardar.
Você se descobre na rua, sem ter para onde ir. O adolescente corre para a casa dos pais, porque lá é a vida dele, a que ele sempre soube existir. Cama, comida e roupa lavada. Em troca, ele só deixa um tanto de sua liberdade. O cara de 30, sabe cozinhar, lavar, passar. Mas não tem mais cama. E deixa toda a liberdade que precisou conquistar ao longo dos 30 anos nas mãos de quem nem sabia que ainda o podia controlar.

Sim, auto-análise em período de mudança. Mais um período de mudança.

sexta-feira, outubro 17, 2008

e a brincadeira de baixar e baixar e baixar músicas cobrou seu preço:

primeiro - tenho muito mais coisas para ouvir do que o necessário e do que o possível mesmo.

segundo - virus no laptop. Fiquei com uma jaca nas mãos. O bicho tá lerdo que dói.
e pior, posso ter que perder todas as músicas que baixei e não tenho tempo para
ouvir.

: P
não recomendo, mas costumo ler vários livros ao mesmo tempo.
A parte ruim é que nem sempre você leva todos ao final, mas tem uma coisa boa que é terminar de ler DOIS livros no mesmo dia.
Foi o que aconteceu ontem com o "Slam" do Nick Hornby e com A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen.

foram legais.

E agora, sobraram os livros de cinema, leitura técnica.
É bom para ir voltando aos poucos a me disopilar de campanha.
Cinema, cinema, cinema...
Rio, Rio, Rio...
tenho que começar a fazer a neurolinguística do negócio.
tenho que voltar, tá tudo meu lá.

ou não?
ai ai

quarta-feira, outubro 15, 2008

Engraçado.
Skank de novo.

Ainda Gosto Dela
( Samuel Rosa / Nando Reis )

Hoje acordei sem lembrar 
Se vivi ou se sonhei
Você aqui nesse lugar
Que eu ainda não deixei

Vou ficar?
Quanto tempo 
Vou esperar
E eu não sei o que vou fazer não

Nem precisei revelar 
Sua foto não tirei
Como tirei pra dançar
Alguém que avistei

Tempo atrás
Esse tempo está
Lá trás
E eu não tenho mais o que fazer, não
Ainda vejo o luar 
Refletido na areia
Aqui na frente desse mar
Sua boca eu beijei

Quis ficar
Só com ela eu
Quis ficar 
E agora ela me deixou 
Eu ainda gosto dela
Mas ela já não gosta tanto assim
A porta ainda está aberta
Mas da janela já não entra luz

E eu ainda penso nela
Mas ela já não pensa mais em mim
Eu vou deixar a porta aberta
Pra que ela entre e traga a sua luz

segunda-feira, outubro 13, 2008

lembrete 3

Deixar mais o carro em casa.
lembrete 2

parar de beber vodka.
parar de beber gin.
parar de beber uisque.
parar de beber jurubeba.
parar de beber cerveja.

quinta-feira, outubro 09, 2008

Mas o roberto virá.
Só preciso achar o local certo e o tamanho certo.
Ainda não foi dessa vez...
: /
Nova postagem.

não, não tatuei o roberto.
tatuei o tremendão. Com 138 anos.
heheheheheh






sexta-feira, outubro 03, 2008

quinta-feira, outubro 02, 2008

DIZEM QUE LUGAR DE REI É NO TRONO. 
EU JÁ ACHO QUE ELE DEVE FICAR NO MEU BRAÇO.
hehehehhee


É engraçado que, mesmo achando ruim um livro do Nick Hornby, já passei da página 70 (atualizando - página 120). É como se estivesse dando o meu aval para um livro mais ou menos. Como se o achasse bom o suficiente para merecer tantas páginas lidas.

 

Mas às vezes parece que ele consegue falar para mim, de meus medos e problemas. E mesmo com tantos anos de diferença entre Sam, o personagem do livro, Slam para ser mais claro, e eu, às vezes consigo entender tudo o que ele passa ou está passando e ...

Peraí.

Já não é mais o Nick Hornby que escreve fingindo ser um garoto de 16 anos que gosta de skate. É o próprio garoto que escreve o livro.

A metamorfose se completa e autor é personagem e vice-versa. E quando você vê já terminou outro livro desse careca torcedor do Arsenal (eca!!!), apaixonado por seus personagens e esperando ansiosamente pelo próximo.

Maldito Nick Hornby!

Bendito Nick Hornby!

 

 

Coisas do cinema:

Leio cada página perguntando para mim mesmo como faria aquela cena, como transformaria aquele capítulo em um pedaço de roteiro. Bom, se vocês querem saber, o filme começaria na casa da Alicia, na festa. Ah, não entenderam?   

Leiam o livro. Ou talvez eu escreva o roteiro. Ia ser legal.

sábado, setembro 27, 2008

então tá.
cheguei em casa, meio de porre. 
abri o laptop pra futucar a vida alheia. 
A conexão não funcionava, desisti.
abri o word e comecei a pensar um texto. 
As palavras saíram trocadas, todas erradas. Mas o que queria dizer estava lá.
Meu problema é a preguiça e ter que escrever no teclado apoiado na minha perna.
Mas prometo voltar ao assunto, mais lá pra frente.
really people, Glasvegas?!

***

caramba, não pega. não pegou.
não sei se vai pegar, mas como já quebrei a cara várias vezes, vou dar um tempinho maior para ouvir o Glasvegas de novo.
Por falar em engolir a lingua, quebrar a cara and stuff, pirei, surtei, enlouqueci ouvindo o Metric.
E olha que esse disco está aqui há mais de ano...
ou será que foram só uns poucos meses?
enfim, nessas horas de internet e rapidez de tudo que existe, 
um mês é um ano, facinho, facinho. 

sábado, setembro 20, 2008

preciso dividir essa que acabei de ouvir com vocês...

Ford Ku, o carro apertado por dentro e feio por fora.

quinta-feira, setembro 18, 2008

lá, a música tá devagar.
sinto cada pedacinho cortar minha pele.
parece que hoje o frio lá de fora faz companhia para o frio que há aqui dentro.

É frio. É desolador. É um grande campo de neve, uma geleira.
derretendo, virando água, escorrendo pelos dedos.
uma hora acaba.
uma hora vai acabar.

experimente.
DEATH CAB FOR CUTIE - TINY VESSELS
(essa banda sim, eu queria no Tim)

This is the moment that you know
That you told you that loved her but you don't.
You touch her skin and then you think
That she is beautiful but she don't mean a thing to me.
Yeah, she is beautiful but she don't mean a thing to me.

I spent two weeks in Silverlake
The California sun cascading down my face
There was a girl with light brown streaks
And she was beautiful but she didn't mean a thing to me.
Yeah she was beautiful but she didn't mean a thing to me.

I Wanted to believe in all the words that i was speaking
As we moved together in the dark
And all the friends that i was telling
And all the playful misspellings
And every bite i gave you left a mark

Tiny vessels oozed into your neck
And formed the bruises
That you said you didn't want to fade
But they did and so did i that day

All i see are dark grey clouds
In the distance moving closer within every hour
So when you ask "was something wrong?"
That i think "you're damn right there is but we can't talk about it now. 
No, we can't talk about it now."

So one last touch and then you'll go
And we'll pretend that it meant something so much more
But it was vile, and it was cheap
And you are beautiful but you don't mean a thing to me
Yeah you are beautiful but you don't mean a thing to me [x2]

Luis Taylor diz:
pior é isso.

Luis Taylor diz:
nem poder escolher

Luis Taylor diz:
eles escolhem pela gente

Luis Taylor diz:
a nós resta obedecer

Luis Taylor diz:
e pagar felizes as contas no fim do mês.

Luis Taylor diz:
que felicidade vã.

Luis Taylor diz:
poxa vida

Luis Taylor diz:
que tristeza

Luis Taylor diz:
ter as contas pagas para não ficar triste por não ter pago as contas.

é...

sabe qual o meu problema?
eu sei.

mas não quero dividir.

acho que não quero dividir nada meu. 
acho que não tenho mais nada meu.

Nada, meu.
Coisas que me irritam:

 - mão descascando
 - barriga crescendo
 - teclado do trabalho
 - barulho de obra o tempo todo em meus ouvidos.


Coisas que me relaxam (será relaxar o contrário de irritar?!)

 - ler um bom livro
 - bater um bom papo regado a álcool
 - ouvir música 
 - minha casa, com meus móveis, com meu espaço.
 
ai ai

Como queria poder pegar as rédeas desse mundo,
virá-lo 360 graus e me preparar para dormir.
Assim que acordasse veria o que aconteceu.
Provavelmente nada.

Incrível como o mundo tem um jeito todo próprio de colocar
as coisas nos lugares ou simplesmente de seguir adiante,
fingindo que as loucuras que aconteceram são só mais do mesmo.

é, eu não.

terça-feira, setembro 16, 2008

engraçado que esse já foi um blog que falava, praticamente, de música. 
Acontece que de uns tempos pra cá, passei a conviver sozinho com meus gostos.
Não quero mais mudar o mundo. Com a música, pelo menos.
Acho que me satisfiz em admitir que tenho um gosto particular para melodias.

Enfim...

hoje vou falar de música pelo simples motivo de não ter mais o que falar.
Então, escutem o novo do Kings of Leon, que desde o primeiro disco, só faz melhorar.
O novo está de cair o queixo. Alternativo, denso, bom de se ouvir numa rodinha de uisque, prestando atenção em detalhes.

Outra coisa que tenho surtado ouvindo é um banda nova chamada Miracle Fortress. 
O disco, Five Roses, lembra alguma coisa da Elephant Six (alguém ainda se lembra deles?), com um pouco de Beach Boys em sua época psicodélica. O Shoegaze também dá o ar de sua graça.
E psicodelia por psicodelia, Mircle Fortress dá de MIL a zero no MGMT, aqueles metidinhos que vão tocar no Tim.

Por falar em Tim, o Planeta Terra, mais uma vez, engole o festival que um dis foi o mais querido da galera do lado B.
Mas é que faz uns três anos, eles tem (sem acento por causa das novas regras ortográficas) colocado tanta coisa "nova" só pela novidade, que, sinceramente, cansou.

O Planeta Terra traz as MELHORES novidades, como Foals (GENIAIS!!!!) e se segura em bandas do porte de Spoon, JESUS AND MARY CHAIN, Bloc Party e Kaiser Chiefs. 
Chama ou não chama mais a atenção do que um Gogol Bordello ou um The National?

****

Outra coisa boa é o disco novo do Metallica que só melhora a cada vez que ouço.
LAMA E CERVEJA GELADA AGORA!!!!!!!!!!
e são 11 da manhã de terça-feira.

segunda-feira, setembro 15, 2008

Um homem e uma mulher vivem uma intensa relação de amor, e depois de alguns anos se separam, cada um vai em busca do próprio caminho, saem do raio de visão um do outro. Que fim levou aquele sentimento? O amor realmente acaba? 

O que acaba são algumas de nossas expectativas e desejos, que são subtituídos por outros no decorrer da vida. As pessoas não mudam na sua essência, mas mudam muito de sonhos, mudam de pontos de vista e de necessidades, principalmente de necessidades. O amor costuma ser amoldado à nossa carência de envolvimento afetivo, porém essa carência não é estática, ela se modifica à medida que vamos tendo novas experiências, à medida que vamos aprendendo com as dores, com os remorsos e com nossos erros todos. O amor se mantém o mesmo apenas para aqueles que se mantém os mesmos. 

Se nada muda dentro de você, o amor que você sente, ou que você sofre, também não muda. Amores eternos só existem para dois grupos de pessoas. O primeiro é formado por aqueles que se recusam a experimentar a vida, para aqueles que não querem investigar mais nada sobre si mesmo, estão contentes com o que estabeleceram como verdade numa determinada época e seguem com esta verdade até os 120 anos. O outro grupo é o dos sortudos: aqueles que amam alguém, e mesmo tendo evoluído com o tempo, descobrem que o parceiro também evoluiu, e essa evolução se deu com a mesma intensidade e seguiu na mesma direção. Sendo assim, conseguem renovar o amor, pois a renovação particular de cada um foi tão parecida que não gerou conflito. 

O amor não acaba. O amor apenas sai do centro das nossas atenções. O tempo desenvolve nossas defesas, nos oferece outras possibilidades e a gente avança porque é da natureza humana avançar. Não é o sentimento que se esgota, somos nós que ficamos esgotados de sofrer, ou esgotados de esperar, ou esgotados da mesmice. Paixão termina, amor não. Amor é aquilo que a gente deixa ocupar todos os nossos espaços, enquanto for bem-vindo, e que transferimos para o quartinho dos fundos quando não funciona mais, mas que nunca expulsamos definitivamente de casa.

Martha Medeiros


*****

sou simplesmente apaixonado pelo que essa senhora escreve.
Um dia, meio sem querer bati o olho na coluna dela na Revista do Globo e, desde então,
a acompanho semanalmente.
podem dizer que é papo de mulherzinha e tal, mas não acho. 
Sentimento é igual para todo mundo. E um puta texto é um puta texto, sem sexo, raça, cor ou religião. 

domingo, setembro 14, 2008

Good things don´t happen to ugly people
The Automatics - "Bad Guy"
novo halls de melancia.
novo?

***

o lance é não se lamentar.
pra que se sentir um lixo?
pra que se sentir um ser só?
pra que ouvir los hermanos?
pra que ser só?

pra que?

piscadela de canto de olho.
e um beijo na boca.


sábado, setembro 13, 2008

e o eletrorock está virando o novo trance...
sabadão de trabalho.
domingão de trabalho.
segundona de ....

hoje é segunda?
que dia é hoje?

É engraçado entrar no jetleg da campanha.
trabalhando sábado e domingo direto, como se fossem terça e quarta, tudo perde um pouco a noção de sentido.
O que era segunda vira quinta, o que era sexta vira segunda, o domingo é quarta-feira...
aí, todo dia á dia de encontrar os amigos e tomar uma gelada (afinal, todo dia é segunda mesmo).
todo dia é dia de almoçar mal (afinal, todo dia é domingo mesmo).
todo dia é dia de acordar tarde e dormir mal (afinal, todo dia é quinta mesmo).

e a gente segue nessa loucura tentando se manter, um pouquinho que seja, próximo da sanidade.
é, porque a continuar assim, são serão os outros. Pra gente só sobra antidepressivos e calmantes, além de camisa de força e baba no canto da boca.

***

correndo, correndo e correndo. 

quinta-feira, setembro 11, 2008

Tava passando de carro, em direção ao trabalho.
Uma loira atravessou a rua e uns garis, que tavam recolhendo as folhas do chão,
olharam para ela, com água na boca. Ok, ela era digamos, gostosa.
Mas, parei para pensar e percebi que no momento em que ela tirasse sua calça jeans atochada,
suas pelancas apareceriam. 
o que me levou a pensar que as gostosas estão, sempre, um pouco além da gostosura.
Elas não são as verdadeiras gostosas. Essas são as falsas magras, que na verdade são gostosinhas.
Então, amigo, porque levar gato por lebre?

Prefiro ir nas gordinhas mesmo. Elas são as únicas mulheres de verdade.
Ou que se mostram exatamente como são.
 

quarta-feira, agosto 27, 2008

Garota de Ipanema é a segunda música mais tocada no mundo. Só perde para Yesterday, dos Beatles. E pelo que tenho percebido nas rádios, logo, logo, também fica atrás de Umbrella, umbrella, umbrella. A principio, isso parece motivo de festa e júbilo. "Nossa, mas que orgulho para o nosso país". "Nossa, o Tom e o Vinícius levaram o nome do Brasil para o planeta inteiro". "Nossa, e a pedalada do Robinho?". "Nossa, o Brasil é mesmo maravilhoso". "Nossa, e o rebolado da Carla Perez?". Tá, muito legal. Eles fizeram um bem danado para o país. Mas, definitivamente, não para os cariocas.

É por causa desse sucesso estrondoso que nasceu um dos maiores infernos do Rio de Janeiro: a marra das cariocas. É claro, a menina sabe que a sua fama de monumento foi parar até em Omski e Dudinka. Normal. Elas se enchem de orgulho e auto-estima. E tome gordinha de tamanco dando toco em Búzios, tome 0x0 no Baixo Gávea. Tome vodka com RedBull pra dar uma levantada e tentar mais uma.

Foi por causa do doce balanço a caminho do mar que passamos tantos carnavais em Pompeu, Juiz de Fora, Lambari. Na boa, o que leva alguém a sair do Rio de Janeiro, passar pela Urca, por Ipanema e pensar. Uhuuuu, vamos pra Lambari. Chegando vamos direto pra aquela praça onde tem umas caixas de som no poste. Porra, na boa.

Por um lado, é bom, porque que os cariocas passam a conhecer mais o país e até o próprio Rio. Incluindo aí os seus espaços mais sórdidos: Rio Sampa, Excentric, Choperia Tropical, "Mariozinho". Tem o primo de um amigo meu que já foi mais de 5 vezes `a Coqueluxe. Tá bom, tá bom, fui eu. E foram mais de 10 vezes. Mas não vem não, que seu namorado também já foi lá.
O pior é que a música mais famosa do país não é apenas uma ode `a mulher carioca. É uma ode ao toco dado pela mulher carioca. Aí, fica fácil, né, recebe elogio e ganha musiquinha pra vir e passar, pra deixar o cara tão triste, tão sozinho. Tá explicado.

Por favor, não que o Rio não tenha mulheres absurdas e tal. O problema é com a relação geográfica. Aquela gata da faculdade que você sonhou e vida toda e que só ficava com aquele cara fortinho, de camisa meio desbotada da Osklen, que chegava de bicicleta na praia e tocava Jorge Ben no violão - então, esse mesmo. Ou aquela outra que você pirou o colégio todo e que só ficava com aquele cara fortinho, de camiseta meio desbotada da Osklen, que chegava de bicicleta na praia e que estava aprendendo a tocar Jorge Ben no violão - então, esse mesmo. Nunca foi impossível ficar com elas. Impossível era ficar com elas no Rio. Porque no Rio, todas acham que têm um pouco de Helô Pinheiro.

Ai, inventam a festa do Castelo em Itaipava. Itaipava! E a festa a fantasia de Teresópolis. Teresópolis! Lá pode, né? Não é Rio.

Pagou pedágio pode. Ok. Carnaval em Salvador então. Que maravilha. Ê ô, ê ô, que bom, você chegou. Bem-vindo a Salvador.

E no fundo, Tom e Vinicius são os incentivadores e, por que não, empreendedores de diversos segmentos da economia de nosso balneário. Tenho certeza de que a Garota de Ipanema não malhava na A!academia. Nem tinha feito aplique, nem comia salada no Doce Delicia. É a busca pelo helopinheirismo que impulsionou o crescimento e os investimentos em todas as áreas relativas `a estética. Tanto a feminina como a masculina. Porque o Rio de Janeiro é a única cidade do mundo onde esquisito é quem não malha.

Malhação é um ciclo. `As vezes de decaderabolin, às vezes de winstroll. As mulheres, por serem cariocas e, portanto, dificílimas, começam a malhar para se diferenciarem e entrarem na categoria impossíveis. Os homens, como o número de impossiveis aumenta, malham sem parar, tentando transformá-las em "quem sabe um dia".

E assim, cria-se também o maior número de caras mestres na conquista (expressão amplamente empregada por meu avô) do país. Quando o assunto é a paquera (essa foi piada, sério), crescer no Rio é treinar no BOPE, e sentir que quando você chega em outra cidade, todos são guardas municipais, daqueles que andam de bicicleta na Lagoa. Você, de escopeta e caveirão. Obviamente, é caveira, meu capitão.

Esse é o momento de elevação do carioca. O jogo fora de casa. Que bonito ver a bola rolando assim, redondinha. Sem defesa, sem barreira, sem falta. O futebol moleque. E é nessa hora que, sofrido, você resolve agradecer pela segunda música mais tocada do mundo. No fundo, ela cumpriu uma função muito maior. Ao tentar deixar os cariocas prontos para as cariocas, acabou deixando os cariocas prontos para o mundo.

terça-feira, agosto 26, 2008

Luis Taylor diz:
se for eleito vereador daqui a 4 anos

Luis Taylor diz:
vou criar áreas livres do Disk Silencio

Luis Taylor diz:
para que casas noturnas possam se instalar e criar novas opções de lazer para os jovens de nossa cidade

Luis Taylor diz:
se for eleito vereador, vou criar uma lei que obriga os bares a manter suas cozinhas abertas enquanto estiverem funcionando

Luis Taylor diz:
acabou a falta da batata frita no final do rock!!!

gostou?
Já tô treinando.

quarta-feira, agosto 20, 2008



VAI SER BOM, HEIN?!?!?!
e sexta tem mais.
Voltz lá na pastelaria.
tô cobrindo um buraco, mas...
estarei lá com o melhor do eletrorock,
new rave, pings, bongs e barulhinhos.

segunda-feira, agosto 18, 2008

tava cheio de dúvida sobre qual seria o esporte exibição nestas olimpíadas, aí fui na internet e achei.

***

Nos Jogos Olímpicos de 2008 serão realizada competições de Wushu (Kung Fu), mas essas não serão consideradas esportes de demonstração. Aliás essa categoria de "jogos de exibição ou demonstração" não existem mais nas Olimpíadas. Apenas nos Jogos Panamericanos.

Esses esportes abaixo sim, foram considerados demonstração:
Esporte (Olimpíadas)

• Automobilismo (1900)
• Beisebol Finlândes - Pesäpallo (1952)
• Boliche (1988)
• Budô (1964)
• Balonismo (1900)
• Corfebol (1920 e 1928)
• Esqui Aquático (1972)
• Futebol Americano (1904 e 1932)
• Futebol Australiano (1956)
• Ginástica Sueca (1948)
• Glima (1912)
• Kaatsen (1928)
• Handebol de Campo (1952)
• Hóquei sobre patins (1992)
• Jeu de paume (1900 e 1924)
• La canne (1924)
• Lawn Bowls (1900)
• Longue Paume (1900)
• Pelota Basca (1924, 1968 e 1992)
• Pelota Valenciana (1992)
• Salvamento Aquático (1900)
• Sambô (1980)
• Savate (1924)
• Treinamento com pesos - halteres (1904)
• Vôo a vela - Gliding (1936)
hum...
deixando a coprofagia de lado, preciso falar do meu time.
Que momento, senhoras e senhores.
Quarta-feira veremos se o fogo é de palha ou se iremos galgar algumas posições verdadeiras nessa disputa pelo Brasileiro.
Elenco e time, nós temos.
Basta ganhar do Cruzeiro, do Palmeiras e do Grêmio.
E fazermos nossa parte nas partidas mais fáceis.

Libertadores é uma ótima.
Mas esse título tá com um gostinho de alvinegro...

sábado, agosto 16, 2008

(DO GLOBO.COM)

Museu japonês recebe exposição sobre cocô

Crianças podem brincar com 'amostras' produzidas por diversos animais.Há também livros que ensinam as crianças sobre a importância das fezes.


O museu literário da cidade japonesa de Himeji recebe, até o dia 18 de maio, uma exposição sobre um tema curioso: fezes.

No evento, estão expostos dejetos de diversas espécies de animais, além de fotos de diversos bichos durante a "produção".

As crianças - que compõem a maioria dos visitantes - são convidadas a manipular os diversos tipos de cocô. Há uma sessão apenas para mamíferos africanos, que inclui uma coleção de fezes de zebras, elefantes, girafas e hipopótamos. O museu oferece ainda uma seleção de livros sobre fezes. Há literatura sobre a importância das fezes, como elas são formadas e até ilustrações e fotos sobre diversos animais que se alimentam do cocô alheio. Um dos destaques é um folheto feito a partir de cocô de elefante.

******

NÃO ACREDITA???!!!
Vai lá

http://g1.globo.com/Noticias/PlanetaBizarro/0,,MUL467038-6091,00.html

sexta-feira, agosto 15, 2008

(diálogo feccional, ficção com tudo nos seus coliformes)

Luis Taylor diz:
Mas só cago em casa...
Luis Taylor diz:
chego a estar com o cu doendo de tanto prender a merda. Eita vontade de cagar.
Eduardo diz:
kkkkkkkkkkkkkk
Eduardo diz:
mas isso e um direto do ser humano q está sendo usurpado[
Eduardo diz:
merece uma tese
Luis Taylor diz:
claro
Luis Taylor diz:
a cagada da paz
Luis Taylor diz:
isso é qualidade de vida
Eduardo diz:
kkkkkkkkkkkk
Luis Taylor diz:
quando eu for prefeito, todos os meus funcionarios poderao ir em casa cagar na hora que quiserem
Luis Taylor diz:
ou melhor, precisarem
Luis Taylor diz:
ou podem trazer o vasode casa
se preferirem cagar no trabalho
Eduardo diz:
kkkkkkkkkkkkkk
Eduardo diz:
é o vale-merda
Luis Taylor diz:
isso
Eduardo diz:
conte com meu voto

quarta-feira, agosto 13, 2008

Olá Patrícia, Elton, Emanuel e Taylor;

Parabéns pelo trabalho!!!! Segue abaixo a avaliação do Joel.
Daniele

APRESENTAÇÕES e AVALIÇÕES
CURSO PÓS-CINEMA LATO SENSU MISC-UNIV. CUIABÁ

Notas: otima (O); boa (B); regular (R); insuficiente (I).

GRUPO NOTA AVALIAÇÃO
Patricia, Elton e Emanuel e Taylor - O - Projeto super criativo. Bem elaborado.

quinta-feira, agosto 07, 2008

Andam me perguntando por que o absent soul está tão pra baixo.
Sério, gente, olhem ali em cima a descrição do mesmo.
música, MELANCOLIA e afins.

Já me repetindo, pela enésima vez, esse é o blog das lamentações.
E costumo escrever (melhor) quando me sinto assim,
dragado pra dentro de mim mesmo, inundado por pensamentos,
indefinições e falta de perspectivas.

é. é isso.

quarta-feira, agosto 06, 2008

É engraçado pensar no que me sobrou de uma vida inteira.

Caixas.
Caixas meio inteiras.
Algumas já abertas, outras ainda lacradas.



Caixas e cidades.
e não-amores.

Hoje vivo de não-amores,
vivo meus não-amores.
Escrito e publicado em 12 de Novembro de 2002

gosto de jogar conforme a música.
é, sei que está errado.
é de propósito. Tudo é de propósito.

A vida, os dias, a vontade de comer.
as caras que a gente evita olhar,
as bocas que a gente não consegue evitar.
a raiva, o sono, o gosto de mel na boca.
a saudade.

Carlos Drummond de Andrade.

não, não foi ele que escreveu aquilo. Fui eu.
Coloquei o nome dele de propósito.
Como queria, de propósito, por um fim a isso tudo.
De uma forma rápida, indolor. incolor.
Mas as manchas que sobrevivem me fazem tentar limpar o pano.
Escorrer a água, brindar o corpo com paz.

ei, você que lê... saiba que esse sou eu.
O de alma ausente, de cabeça pensante
de coração pulsante,
que rompe numa afronta
todas as mudanças e andanças do globo.

um dia difícil, minha gente.
outro dia difícil.

terça-feira, agosto 05, 2008

Portas que abrem, portas que fecham.
É sempre bom ter todas as chaves.
Ou pelo menos conhecer um bom chaveiro.
nova postagem, nova postagem, nova postagem.

Velhas idéias no papel.
Novas idéias no papel.

Eca, preciso dizer.
Blergh, é o pensar.
Que coisa, o que vim fazer?
Até quando preciso ficar?

quinta-feira, julho 31, 2008

Álcool

Guilhotinas, pelouros e castelos
Resvalam longemente em procissão;
Volteiam-me crepúsculos amarelos,
Mordidos, doentios de roxidão.

Batem asas de auréola aos meus ouvidos,
Grifam-me sons de cor e de perfumes,
Ferem-me os olhos turbilhões de gumes,
Descem-me a alma, sangram-me os sentidos.

Respiro-me no ar que ao longe vem,
Da luz que me ilumina participo;
Quero reunir-me, e todo me dissipo —
Luto, estrebucho… Em vão! Silvo pra além…

Corro em volta de mim sem me encontrar…
Tudo oscila e se abate como espuma…
Um disco de oiro surge a voltear…
Fecho os meus olhos com pavor da bruma…

Que droga foi a que me inoculei?
Ópio de inferno em vez de paraíso?
…Que sortilégio a mim próprio lancei?
Como é que em dor genial eu me eternizo?

Nem ópio nem morfina.
O que me ardeu,
Foi álcool mais raro e penetrante:
É só de mim que ando delirante —
Manhã tão forte que me anoiteceu.

Mário de Sá-Carneiro

terça-feira, julho 29, 2008

já disse que te amo?
E então, ele pensou, porque não tentar dar aquele beijo?
Ela estava mesmo ali, de bobeira, andando de um lado para o outro, no seu salto alto vermelho. Parecia meio alegre já. Era tarde da noite e ele também já tinha virados alguns copos de cerveja.

A aproximação foi tranqüila, afinal, já se conheciam de antes. Ele achava que da escola, ela achava que da vida mesmo. Moravam numa cidade pequena, onde as pessoas não tinham muitas opções de diversão. O máximo era a lanchonete com seus x-alguma coisa e garrafas de cerveja ou, se o fim de semana fosse movimentado, um churrasco ou uma festa de aniversário à noite.
Era noite de aniversário. E ela zanzando pra lá e pra cá. Pra cá e pra lá. Até que ele se aproximou. Foi uma troca rápida de palavras.

Ei, oi, legal né, é, legal, gosto muito do fulaninho que tá fazendo aniversário hoje, eu também, um querido, né? É.

Silêncio. Eles se encaram por pequenos segundos. Ela desvia o olhar. Ele vai pegar mais uma cerveja. Perdera a coragem que pensava ter achado ao esvaziar alguns copos. Na cozinha vira uma dose de cachaça. Sente a bebida descer queimando e deixa escapar uma careta. Ele se ajeita e volta para a sala, para junto dela. Mas antes de cruzar a porta, percebe o carinha. Que se aproxima emplumado. Fala e sorri. A falsidade daquele sorriso branco e perfeito deixa ele petrificado. Sabe quais as reais intenções do carinha. Se ao menos soubesse falar e rir ao mesmo tempo. Os dois se tocando. Mão no ombro, ela ajeita o cabelo. Mais uma dose de cachaça. E direto para o canto mais escuro da sala, perto do sofá. Perto do som. Perto de si mesmo e longe de todos os outros.

De cabeça baixa percebe toda a movimentação. A festa de corpos a se mover, de copos a se beber, de bocas a se encontrar. Onde ela está? Ali, conversando com o mesmo carinha de antes. Ou seria outro? As mãos dele em seus longos cabelos, tão bonitos aqui de longe. O mesmo carinha vai até a cozinha e traz mais um copo de cerveja. Para ela. A coragem para ela. Os sorrisos aumentam de intensidade. Os toques se tornam mais freqüentes. É só uma questão de tempo. Ele senta no sofá, torcendo para sumir no meio daquelas almofadas grandes e fofas. Elas só aumentam seu enjôo.

No hora de ir embora, ele ainda enjoado se despede e oferece uma carona.
Não, pode deixar. Eu moro perto daqui. Vou a pé. É bom que acalma e dá tempo de passar um pouco o peso do álcool. É verdade. O álcool. Com essa nova Lei é melhor deixar o carro aqui e só pegar amanhã. Acho que vou a pé com você, tudo bem? Claro.


Os dois já caminham pela noite. Ele já arrebatado pela esbórnia, cabeça rodando, pernas pesadas, e aquela sensação de vômito iminente. Olha para o lado e a vê. Se arrepia. E pensa em como ela merece algo muito melhor do que ele tem para oferecer. Afinal não sabe nem falar e sorrir ao mesmo tempo. E aceita sua derrota. Resignado, como foi durante toda a vida, reza para que a casa dela seja realmente perto.

Mais dois quarteirões em frente e meio à direita. A casa dela é de tijolinhos, simples e bonitinha. Como ela. Se despedem com um beijo na bochecha e um abraço silencioso. Ele fica com medo que ela sinta seu coração disparando. E acompanha com a alma sua caminhada até a porta que a engole e o cospe de volta à rua escura, de paralelepípedos. Ele só quer chegar em casa, dormir e tentar esquecer aquela dor no peito, a vontade de desistir,de sentar no meio-fio e chorar. Vai ser uma longa caminhada e ele sabe que não pode parar.
Ela se deita, ainda meio bêbada. Dorme logo. E sonha com o beijo que queria tanto que ele tivesse te dado.

quinta-feira, julho 24, 2008

é com pesar que anuncio, com quase um ano e meio de atraso,
que o Cooper Temple Clause, uma de minhas bandas pouco (re)conhecidas preferidas
terminou.
: (

quarta-feira, julho 23, 2008

Tem uma lei que costumo usar na minha vida, mesmo não querendo.
A lei da inércia. A primeira vez que ouvi falar disso foi com minha tia. Ela me disse que, para o mundo começar a se movimentar, você só precisa colocar um pé no mundo.
Acho que para tudo isso serve.

Então, faz mais ou menos um mês coloquei o pé no mundo. Pelo menos no que diz respeito ao trabalho. E desde então, já rolaram algumas propostas para fazer as mais diversas coisas nos mais diversos lugares do Brasil.

E eu, certo do que quero, me mantenho impassível às verdinhas que acenam na minha cara.
Impassível até certo ponto, né...

quarta-feira, julho 16, 2008

dia 18 e 19/07 - casamento em Ipatinga (MG)
dia 02/08 - apresentação do TCC da pós em Cuiabá (MT)
dia 08, 09 e 10/08 - Festival Calango em Cuiabá (MT)
dia 11/08 - volta às aulas na Darcy Ribeiro
dia 28/08 - Festival de Cinema Universitário REC, em Vitória (ES)
até dia 30/08 - inscrição para prova de mestrado na UFRJ (RJ)
dia 07/09 - show do Hives, Circo Voador (RJ)
dia 14/09 - entrega do resultado da prova do mestrado (RJ)
entre estas datas e em novembro - muitos shows (RJ e SP)
dezembro - filmagem em Campo Grande (MS)

***

E aí, o ano tá planejado. Abrir mão disso tudo pra que?
A dúvida do dia é:
por que a nudez feminina atrai tanto o homem?

Sério, Leandra Leal fica bem nua no filme Nome Próprio que estréia em todo o Brasil, menos em Vitória, nesta sexta 18. A discussão rolava na internet e alguém disse: nu feminino nunca é desnecessário.

Pense nisso. Realmente nunca o é. Temos prazer em descobrir pernas, costas e colos desnudos. Atrai e é bonito. Mesmo que elas nem se achem tão bonitas. Somos primatas tarados, que não conseguem passar um mês sem saber quem está na capa da Playboy, que sentem tesão pela beldade da novela, e que não conseguem deixar de olhar o derrière da garota que atravessa a rua na frente de seu carro. Pombas, como evitar?!

Deus quando fez a mulher caprichou. E, fala a verdade, aquela costela nem faz tanta falta...

- pode parecer meio escroto isso que escrevi, mas não é. Mais do que colocar o meu ponto de vista, tento, de verdade, entender o por quê dessa necessidade masculina. Posso escrever dizendo que não sou assim, como na verdade nem sou mesmo (não compro playboy nunca). Mas não posso ver um cabelo curto ou uma nuca de bobeira que me pego olhando fixamente...
***
coisas e coisas.

segunda-feira, julho 14, 2008

Ouvindo Vanguart - Los Chicos De Ayer
para matar a saudade de Cuiabá.
ou dar mais saudade ainda...
é fogo quando vc tem que fazer escolhas que parecem mudar de vez o rumo da sua vida/
No momento, os caminhos parecem abrir de uma vez para mais uma guinada maluca sem nenhum tipo de planejamento.
Porque a vida tem que ser assim. Como se estivesse sendo levado e trazido pela maré.
Toda vez que pareço ter certeza de onde estão as raízes, a maré se torna ondas, que se repetem e se arrebentam na areia.

tem que ser assim?

domingo, julho 13, 2008

dia 22/06 disse que estava cansado.
afinal eram 8 dias de trabalho, sem descanso.

Terça completo um mês. Sem UM dominguinho sequer...
se eu já estava cansado, imagina como não estou neste exato momento?!

quarta-feira, julho 09, 2008

TABELA DE PISO SALARIAL PARA PROFISSIONAIS EM LONGA, MÉDIA E CURTA METRAGEM - 2008

FUNÇÃO
R$
Pagamento
01 – DIRETOR CINEMATOGRÁFICO
2.321,83
Por Semana
02 – 1º ASSISTENTE DE DIREÇÃO
1.025,13
Por Semana
03 – 2º ASSISTENTE DE DIREÇÃO
579,85
Por Semana
04 – CONTINUISTA
855,09
Por Semana
05 – ROTERISTA (PELO ROTEIRO DE UM LONGA-METRAGEM)
19.059,13
Pelo Roteiro
06 – PESQUISADOR CINEMATOGRÁFICO
1.404,35
Por Semana
07 – PRODUTOR EXECUTIVO
2.058,83
Por Semana
08 – DIRETOR DE PRODUÇÃO
1.532,80
Por Semana
09 – 1º ASSISTENTE DE PRODUÇÃO
855,09
Por Semana
10 – 2º ASSISTENTE DE PRODUÇÃO
579,85
Por Semana
11 – CONTRA-REGRA
395,14
Por Semana
12 – SECRETÁRIA DE PRODUÇÃO
579,85
Por Semana
13 – DIRETOR DE FOTOGRAFIA
1.532,80
Por Semana
14 – DIRETOR DE FOTOGRAFIA / OPERADOR DE CAMERA
2.058,83
Por Semana
15 – OPERADOR DE CAMERA
1.404,35
Por Semana
15.1 – OPERADOR DE HD
1.404,35
Por Semana
16 – 1º ASSISTENTE DE CAMERA
1.088,75
Por Semana
17 – 2º ASSISTENTE DE CAMERA
654,48
Por Semana
18 – OPERADOR DE VÍDEO ASSISTENTE
395,14
Por Semana
19 – FOTOGRAFO DE CENA (STILL)
654,48
Por Semana
20 – ELETRICISTA OU MAQUINISTA CHEFE
1.088,75
Por Semana
21 – ELETRICISTA OU MAQUINISTA
855,09
Por Semana
22 – TÉCNICO DE EFEITOS ESPECIAIS
1.088,75
Por Semana
23 – OPERADOR DE GERADOR
855,09
Por Semana
24 – DIRETOR DE ARTE
1.532,80
Por Semana
25 – CENOGRAFO
1.404,35
Por Semana
26 – FIGURINISTA
1.404,35
Por Semana
27 – ASSISTENTE DE CENOGRAFO
654,48
Por Semana
28 – ASSISTENTE DE FIGURINISTA
855,09
Por Semana
29 – CENOTECNICO
855,09
Por Semana
30 – ASSISTENTE CENOTECNICO
579,85
Por Semana
31 – ADERECISTA
654,48
Por Semana
32 – CABELELEIRO
855,09
Por Semana
32.1 – MAQUIADOR
855,09
Por Semana
33 – MAQUIADOR DE EFEITOS ESPECIAIS
1.025,13
Por Semana
34 – ASSISTENTE DE MAQUIADOR
395,14
Por Semana
34.1 – ASSISTENTE DE CABELEIREIRO
395,14
Por Semana
35 – CAMAREIRO OU GUARDA ROUPEIRO
577,40
Por Semana
36 – COSTUREIRA
395,14
Por Semana
37 – MARCENEIRO
444,06
Por Semana
38 – PINTOR
444,06
Por Semana
39 – TECNICO DE SOM DIRETO
1.532,80
Por Semana
40 – TECNICO DE SOM GUIA
1.025,13
Por Semana
41 – MICROFONISTA
855,09
Por Semana
42 – EDITOR / MONTADOR
1.532,80
Por Semana
43 – ASSISTENTE DE EDITOR / MONTADOR
654,48
Por Semana
44 – DIRETOR DE ANIMAÇÃO
2.058,83
Por Semana
45 – ANIMADOR
1.305,27
Por Semana
46 – ARTE-FINALISTA
1.404,35
Por Semana
47 – ASSISTENTE DE DIRETOR DE ANIMAÇÃO
473,42
Por Semana
48 – ASSISTENTE DE ANIMAÇÃO
395,14
Por Semana
49 – ASSISTENTE DE ANIMADOR
374,34
Por Semana
50 – ESTAGIARIO
128,45
Por Semana

segunda-feira, julho 07, 2008

e então, fico devendo ainda mais 3 parcelas ao Banco.

puta merda... esse negócio de dinheiro não é mole, não...
: /

sexta-feira, junho 27, 2008

"Quanto mais ando, querendo pessoas, parece que entro mais no sozinho do vago..." - foi o que pensei na ocasião. De pensar assim me desvalendo. Eu tinha culpa de tudo, na minha vida, e não sabia como não ter. Apertou em mim aquela tristeza, da pior de todas, que é a sem razão de motivo; que, quando notei que estava com dor-de-cabeça, e achei que por certo a tristeza vinha era daquilo, isso até me serviu de bom consolo. E eu nem sabia mais o montante que queria, nem aonde eu extenso ia.

Grande Sertão:Veredas

quinta-feira, junho 26, 2008

Às vezes me pergunto o que estou fazendo no Rio. Aí vem isso e me responde:












Tão precisando de redator em Brasília, em Cuiabá, em Campinas e em Santos.
Ah, claro, aqui em Vila Velha também.

(e de roteirista/diretor, ninguém precisa?!)
fases:
Cachorro Grande
Peito de Frango à Milanesa
Dreher

Fezes!

terça-feira, junho 24, 2008

às vezes é preciso se isolar de todas as coisas para colocar a cabeça no lugar,
rever prioridades e conseguir trabalhar.

o que isso quer dizer?

hoje lembrei de trazer o fone.

domingo, junho 22, 2008

terça-feira, junho 17, 2008

temporada de poucos posts...
vai ser assim por uns tempos.

destaques do finde.
sem destaques.

Segunda de Fim dos Tempos - The Happening.
Muito legal. Apesar de umas derrapadas, o filme é bem construído. Os sinais estão lá, mas não vermelhos, como antigamente fazia Shyamalan. Os índices, espalhados pela introdução, levam o público ao caminho correto. Mas ainda assim algo parece desandar lá pelo final. Se o filme era sobre pessoas e como elas juntas causam tantos "problemas", é a partir do momento em que as duas que não estavam juntas se uniram que o problema está resolvido.
A mão da menina poderia ter sido melhor explorada, no entanto. Algum conflito deveria ter surgido a partir da fala "só pegue na mão dela se você realmente tiver a intenção de faze-lo".
Cadê o risco disso? Enfim, coisas menores.

O início, como disse Caio, e realmente assustador. As cenas que se sucedem são de prender qualquer um na cadeira do cinema. e de fazer muita gente suar gelada.

Vale o ingresso.

quinta-feira, junho 12, 2008

CARAIIIIIIII!!!!!!!!!!

HIVES NO BRASIL!!!!!!!!
PORRA MINHAS PRECES FORAM OUVIDAS!
Hoje o Absent Soul é rubro-negro.
Dá-lhe Leão!!!!!

SPORT CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL!!!!!!

tenho que ir LOGO pra Recife
: )
é isso aí
30/07
Muse no Rio
já vai ter dado pra eu voltar!!!

domingo, junho 08, 2008

e vamos que vamos....
aqui no Rio continuo a minha saga de sair na sexta e morgar no sábado...
fui ao show da nação zumbi no circo e foi, sem qualquer sombra de dúvida, um dos melhores shows que assisti na minha vida....
muito, mas muito, mas muito foda MESMO.

Os caras desfilaram competência, presença de palco, simpatia e interação com o público carioca. A maioria das pessoas conhecia as músicas (o que é sempre legal), mesmo algumas do disco novo.
Destaque para o biz com músicas das antigas como "da lama ao caos" e "samba macossa", além de maracatu atômico e outras maravilhas.

Nota 10

terça-feira, junho 03, 2008

sexta, nação zumbi, no circo.
sábado, megadeth, no citibank hall (antigo e eterno metropolitan).

Alguém ainda tem alguma dúvida de que eu gosto mesmo de estar aqui???

Ah, tá, só para constar, que tal Muse no Vivo Rio?

segunda-feira, junho 02, 2008

Andre Luis Facts

A polícia não levou o AL pra sair por meio da torcida. Foi ele que, irritado, abriu o portão e disse: "Vambora, negada, passa por aqui que eu garanto a segurança"

"AL falou:ME LARGA Q EU SOU XERIFE PORRA!"

Qdo AL era conduzido ao vestiário, o velhino que estava atrás do gol falou para ele: "Porra, seu fdp!!!! Vc acertou aquela garrafa em mim e olha onde eu vim parar!!!!"

AL chutou a garrafa e a sonda da NASA encontrou agua em marte!

domingo, junho 01, 2008

tapas:

A cobrinha azul não corria atrás de uma abelha, mas sim de um besouro...
Um besouro japonês, o que me lembrava.

sexta-feira, maio 30, 2008

quinta-feira, maio 29, 2008

DEATH CAB - FOR WHAT REASON

This won't be the last you'll hear from me... it's just the start.
I hope that he keeps you up for weeks like you did to me.

I will hold a candle up to you to singe your skin.
brace yourself... i'm bent with bitterness.

When your apologies fail to ring true,
(you're) so slick with that sarcastic slew
or phrases like 'i thought you knew',
while keeping me in hot pursuit.

Tracing the plot finds
skin touching skin
(abscence follows).

In the end, i win every time as ink remains.
Sour tastes prevail as you play back the tape machine.

When your apologies fail to ring true,
(you're) so slick with that sarcastic slew
or phrases like 'i thought you knew',
while keeping me in hot pursuit.

Tracing the plot finds
skin touching skin
(abscence follows).

sexta-feira, maio 16, 2008

Nesta sexta-feira, dia 16 de maio, um dos maiores ídolos da história do Botafogo comemora 83 anos. Lateral-esquerdo de uma época gloriosa do Alvinegro, Nilton Santos ficou marcado como símbolo do melhor futebol brasileiro. Por isso, a data de seu nascimento foi o marco para um outro dia importante para o clube de General Severiano. Nesta mesma sexta, é comemorado o Dia Nacional do Botafogo.

feliz dia do Botafogo (ou seria, meu dia?!)

quinta-feira, maio 15, 2008

ontem usei meu visa e fui para o engenhão testar a novidade, apresentada faz pouco por nosso presidente.
Comprei o ingresso pela internet, cheguei na hora, não enfrentei fila, fui bem atendido e, com lugar reservado, assisti ao jogo no "Espaço VISA"

a única parte ruim foi ficar perto de um monte de corneteiro que não griavam nada a não ser:
tira o leandro, tira o zé carlos, coloca o Eduardo...

enfim, ganhamos.

: )
cena 1 - sala de aula. int. noite
O professor ministra sua aula voltado para os alunos.A sala está bem cheia. Dois alunos, Carlos e Marcelo, sentam ao lado de uma menina, Ana, na última fileira de carteiras, e não prestam muita atenção. Na verdade, para eles é como se o professor estivesse calado ou falasse sem soltar nenhum tipo de som.Ana está com uma caneta na boca e os dois meninos ficam abismados, com toda a sua atenção voltada para o jeito sexy de Ana deixar a ponta de sua caneta BIC na boca.Em um movimento rápido, os dois alunos se olham e percebem quem ambos olham para a aluna. Eles se desafiam com olhares.Nesse momento, Ana tira a caneta da boca para escrever algo, mas ela escapa de sua mão.Lentamente, os dois alunos acompanham a queda da caneta. Ainda sentado, Carlos tenta pegar a caneta em um movimento brusco e se joga para a frente.Marcelo acompanha o movimento, como se tivesse sido derrotado pela iniciativa do rival. Ana também se espanta com o movimento. O Professor se cala e presta atenção em Carlos.A caneta se choca com o chão. Logo em seguida vem Carlos, que cai no chão, ainda sentado na cadeira, sem pegar a caneta. Toda a sala se vira para trás, para ver o que acaba de acontecer.Marcelo olha para sua mesa e pega sua própria caneta.Ele a oferece para Ana, que a aceita, abrindo um leve sorriso.Marcelo retribui o sorriso. Depois se volta para Carlos no chão e balança negativamente a cabeça.
Fim
(essa pequena cena aqui criada foi meu primeiro roteiro a sair do papel. Com algumas alterações, claro. Mas saiu. E eu ainda tive o prazer de atuar.)

***
Ando me preparando para, quem sabe, assumir um papel mais importante nessa vida. Lutar por algo que pareça valher a pena,defender quem precise ser defendido. Talvez tenham sido os dias pela estrada, talvez as fotos de índios penduradas pela parede,talvez aquela festa na OPAN. Enfim, ando vendo filmes cada vez mais politizados e eles estão cada vez maisfazendo minha cabeça. esses dias vi "Mato Eles?" do Sergio Bianchi, "Serras da Desordem" do Andrea Tonacci e "Cabra Marcado para Morrer", do Eduardo Coutinho.Minha vontade é de pegar uma câmera e ir para a Serra da Raposa, filmar aquilo tudo. Hoje é lá que as coisas estão acontecendo.
***
Outra coisa que faz minha cabeça dia após dia é o tal do death cab for cutie.caralho de banda boa chata que nao pára de me encantar. A cada música, nova ou repetida, a cada audição deum antigo disco, encontro um pedacinho aqui ou ali de uma melodia que não tinha prestado muita atenção...e assim vou ouvindo e reouvindo tudo, sem precisar de discos novos. de outras bandas, claro.

terça-feira, abril 29, 2008

estou tentando colocar um texto lindíssimo do Joaquim ferreira dos santos que saiu no GLobo de ontem, mas tá dificil.
Uma hora coloco aqui.
E vejam Beijo Roubado do Wong Kar-Wai.
é incrível, mas estou conseguindo perder fãs no orkut a medida de um por dia.
as pessoas deixaram de gostar de mim?

Dib Lufti (Marília, 1936) é um diretor de fotografia de cinema brasileiro.

Mudou-se para o Rio de Janeiro no fim da adolescência. Em 1957, começou a trabalhar como câmera na TV Rio. Seu primeiro contato com o cinema se deu no seminário promovido pelo Itamaraty em 1962 com o sueco Arne Sucksdorff, com quem trabalhou em seguida como assistente de câmera no longa-metragem "Fábula - Minha casa em Copacabana" (1964). Mas foi com "Esse mundo é meu" (1963), de seu irmão Sérgio Ricardo, que estreou como câmera de cinema e despertou o interesse.

O lema do Cinema Novo "uma câmera na mão e uma idéia na cabeça" não teria sido o mesmo sem este cameraman e diretor de fotografia. Ele soube dar forma a idéias de diretores como Nelson Pereira dos Santos, com quem fez, entre outros, "Fome de amor" (1968) e "Azyllo muito louco"(1969), ambos premiados com o Candango de melhor fotografia no Festival de Brasília, Arnaldo Jabor, para quem fotografou "Opinião pública" (1967), "O casamento" (1975) e "Tudo bem" (1978), também premiado em Brasília, e Ruy Guerra, em "Os deuses e os mortos" (1970), igualmente premiado em Brasília.

Graças a sua habilidade com a câmera na mão foi chamado por Glauber Rocha para operar a câmera de "Terra em transe" (1967).

Fez a fotografia e a câmera de "ABC do amor" (1966), de Eduardo Coutinho, "Edu, coração de ouro" (1967), de Domingos Oliveira, "Os herdeiros" (1970), "Quando o carnaval chegar" (1972) e "Joana francesa" (1973), os três de Carlos Diegues, "Como era gosto o meu francês" (1970), de Nelson Pereira dos Santos, "A lira do delírio" (1973), de "Walter Lima Jr." e "Pra frente, Brasil" (1981), de Roberto Farias.

Foi seis vezes premiado no Festival de Brasília e quatro vezes pelo Instituto Nacional de Cinema. Em 2003, fez a câmera de "Harmada", de Maurice Capovilla, que tem direção de fotografia de Mário Carneiro. Voltou a trabalhar com Domingos Oliveira, fazendo a fotografia de "Feminices" (2004) e "Carreiras" (2005).

Fez ainda a fotografia de "Vida e obra de Ramiro Miguez" (2002), de Alvarina Souza Silva, e de "500 almas" (2004), de Joel Pizzini.


Imagina ter aula com esse cara. e ouvir dele, na primeira aula:
Não gosto muito de falar. O negócio é fazer.

resultado?
Turma empolgada, idéias na cabeça e cameras na mão.